Vale fugir dos hotéis em zonas turísticas e trocar aquele restaurante gastronômico por um bistrô bem local ou pelas comidas deliciosas que são vendidas na rua.

Ainda que Paris seja uma cidade cara nos quesitos alimentação e hospedagem, boa parte das atrações são de graça. E se você tem a nacionalidade europeia e menos de 27 anos, praticamente tudo é gratuito, inclusive as entradas no museus principais como Louvre, Orsay e Pompidou. Mas vamos basear esse roteiro em um passaporte brasileiro básico.

o-que-fazer-em-paris-barata-guia-11

O que fazer em Paris: Roteiro econômico de Paris

O que fazer em Paris: Roteiro econômico de Paris

VIAGEM PARA PARIS: DIA 1

MANHÃ: Se o hotel em que estiver hospedado não tem café da manhã incluso, faça como um bom francês e compre uma baguete, geleia e manteiga para o café da manhã. O preço da compra em mercados como Franprix e Monoprix pode variar entre €7 e €12. Vale também comer na padaria – algumas tem mesinhas onde podemos sentar, comer um croissant quentinho e beber um café por pouco menos de €4.

Mesmo com o orçamento apertado, nada te impede de conhecer a cidade com glamour. Existem tours a pé gratuitos da empresa Sandeman’s New Tours. É só se inscrever com antecedência e escolher o dia e horário. O tour te leva em uma caminhada tranquila (e cheia de explicações) nos principais pontos turísticos da cidade como a Torre Eiffel, a obra-prima da Idade Média que é a Catedral de Notre-Dame e a chiquetosa Boulevard Saint-Germain.

Se você faz do tipo viajante mais independente, comece o dia na Catedral de Notre-Dame o acesso ao interior é gratuito. Você paga (o preço varia, mas você consegue pagar uns €10 a entrada) se quiser subir nas torres e ver Paris mais de cima. Maaaas, você vai gostar mais de uma vista que vamos falar mais para frente no roteiro.

Caminhe pelo Quartier Latin passe pela livraria inglesa Shakespare & Company, visite as sepulturas de Victor Hugo, Voltaire e Rousseau no Panteão, dê um descanso no Jardim de Luxemburgo, conheça a Boulevard Saint-Germain e seus cafés de Flore e Les Deux Magots – frequentados por Jean Paul-Sartre e Simone de Beauvoir, coma o delicioso macaron de maracujá e chocolate na Pierre Hermé, e então você chegará na Torre Eiffel.

TARDE: Na hora do almoço, opte por um bistrô com formule-midi (fórmula do meio-dia) – que oferece entrada + prato + principal + sobremesa por um preço bom. O Les Cocottes, próximo à Torre, tem menus de €23 a €28 euros servidos em balcões com bancos altos.

Depois do almoço, você pode passear pela Place du Trocadero e subir na Torre Eiffel. Mas não esqueça de comprar os ingressos online! Se o orçamento estiver apertado, é importante saber: outra vista vai te agradar muito mais do que a do topo da Torre Eiffel (vamos falar dela mais para frente). Essa parte do passeio só vale mesmo pela emoção de subir na Dama de Ferro.

O passeio continua pelo suntuoso Les Invalidesonde fica a sepultura do Imperador Napoleão Bonaparte e o Musée de l’Armée. A entrada custa €11, mas todos os dias a partir das 17h no verão e das 16h no inverno, você pode entrar no museu sem pagar. Honestamente, o Musée de l’Armée não é um ponto obrigatório no roteiro, então se preferir, vá no final da tarde e visite de graça a sepultura do ex-imperador.

Um museu que vale a pena ser visto é o Musée Rodin (€11,30) que fica na antiga casa do artista que se propôs a doar suas obras, coleções, cartas e manuscritos ao Estado. O museu fica em um prédio do século XVIII com um lindo jardim à francesa – onde distribuem-se diversas esculturas de Rodin. Se for o primeiro domingo do mês entre os meses de outubro e março, você não paga a entrada.

NOITE: dê uma espiada na Torre Eiffel e veja como ela brilha durante a noite. Caminhe pelas ruazinhas que cercam a Torre até chegar na Pont Alexandre III. Suas luzes transferem a gente para a cena final do clássico de Woody Allen, Meia-Noite em Paris. A melhor ideia? Jantar em um dos restaurantes-barcos atracados ao lado da ponte, como o Bistrot Alexandre III que serve um delicioso risoto de champignon e trufas por €19. Você pode também simplesmente comprar uma baguete, um bom vinho no Nicolas, que sai por volta de €6, sentar na beira do Rio Sena e apreciar a ponte de longe.

O que fazer em Paris: Roteiro econômico de Paris

VIAGEM PARA PARIS: DIA 2

MANHÃ: comece o dia com um brunch no Angelina. A casa austríaca serve brunches de €39 chiquérrimos em um salão da Belle Époque com direito a batatas, ovos, salmão defumado, croissants, pão, sucos frescos, cafés e o delicioso chocolate quente da casa.

O que fazer em Paris: Roteiro econômico de Paris

TARDE: Depois do brunch, faça a digestão enquanto passeia no Jardim das Tulherias que tem um laguinho, leitores sentados embaixo da sombra das árvores e turistas passando para lá e para cá. Assim que passar embaixo do Carrousel du Louvre – segundo arco mais famoso de Paris, você chegará no icônico Museu do Louvre. Você precisará de no mínimo 3 horas para conhecer uma pequena parte desse enorme museu que dispõe seu acervo em diferentes alas e complexos. Use e abuse do ingresso de €15. Veja os clássicos como a Vênus de Milo e Monalisa, mas permita-se se perder um pouco entre a parte egípcia e os suntuosos apartamentos de Napoleão. Se quiser economizar e não se incomoda com multidões, você pode fazer a visita no primeiro domingo do mês com entrada franca.

Depois da visita ao museu, vale fazer uma caminhada no suntuoso jardim do Palais Royal que conta com bistrôs, galerias e butiques. O palácio já foi casa da família de Orleans, em 1661, e hoje atrai muitos parisienses nos finais de semana que vão ao local para ler ao ar livre ou tomar um café em um terraço longe dos carros.

NOITE: Aproveite a chegada da noite para admirar as luzes da cidade a partir da mítica Pont des Arts, ponte que antes guardava os cadeados de milhões de casais apaixonados que visitavam Paris. No verão, vale fazer um piquenique ali mesmo, entre a Torre Eiffel e a Catedral de Notre Dame, você escolhe a vista 😉 Se estiver frio vale se acolher no restaurante Ragueneau para curtir uma noite de jazz e comer deliciosos pratos a um preço bem justo que variam entre €14 e €19. O confit de pato com purê de batata e molho de fois gras é um dos mais baratos da casa (€14). Se prefere peixes, escolha o salmão com legumes e limão (€16).

VIAGEM PARA PARIS: DIA 3

MANHÃ: O passeio começa no Marais que é, segundo muitos, o mais parisiense de todos os bairros e também um dos mais antigos e autênticos. Você pode tomar um delicioso café no Fondation Café (16, Rue Dupetit-Thouars), um espaço todo minimalista (em decoração e tamanho) que serve não só um café delicioso, mas também granola, torrada com abacate, tortas de chocolate, bolos e cafés.

Passeie pelas ruas estreitas e dê uma espiada nas livrarias, brechós e boutiques. Vale entrar no museu de arte contemporânea, o Centre Georges Pompidou – uma construção de vidro bem moderna ao redor da qual muitos parisienses vem se sentar e colocar o papo em dia ou ouvir algum músico de rua. Além das mostras temporárias bem curiosas e diferentonas, outra atração do museu é a vista de Paris a partir do terraço. A entrada custa €14 e dá acesso ao museu, ao terraço e às exposições temporárias – como a de Magritte que termina em 23 de janeiro de 2017.

O que fazer em Paris: Roteiro econômico de Paris

O que fazer em Paris: Roteiro econômico de Paris

TARDE: Para o almoço, faça como muitos parisienses e coma no Marché des Enfants Rouges (9 Rue de Beauce) – o mercado mais antigo de Paris que data de 1615. Lá você experimenta ostras, crepes e hambúrgueres por pouco mais €15. Aproveite o passeio para comprar vinhos e itens de papelaria. Depois vale esticar a caminhada para descansar na simétrica e suntuosa Place des Vosges, em frente à casa do autor de Os Miseráveis, Victor Hugo. O Museu Picasso (€12,50) não fica muito longe dali. O espaço conta com mais de 5 mil obras, incluindo itens decoleções do pintor. O prédio acabou de ser reformado, o interior todo branquinho com janelas que dão de cara para o Marais.

NOITE: Para um jantar simples, clichê e barato, vale comer os deliciosos crepes e galettes do Café Breizh. Depois, pegue o metrô na estação Saint Paul e desça na Concorde – a viagem dura pouco mais de 5 minutos. Ali você está nos pés da Champs-Elysées. Percorra a avenida, passando pelos Petit e Grand Palais, pela requintada Ladurée e pelas vitrines de lojas que pipocam uma atrás da outra até chegar no Arco do Triunfo. Termine o dia à luz do pôr do sol romântico no alto do monumento.

VIAGEM PARA PARIS: DIA 4

MANHÃ: É fácil chegar de metrô no topo da colina de Montmartre, esqueça o funiculaire e faça o trajeto descendo, não subindo. A estação de metrô Lamarck-Caulaincourt é um ótimo ponto de partida. Dali você terá que encarar subidas menos íngremes para chegar na Basílica de Sacré-Coeur.

O passeio em si, já é um charme. Pouco a pouco você descobre toda a vibe artística do bairro que faz a sua fama. Dê uma volta na Place du Tertre, caldeirão turístico onde concentram-se artistas que fazem caricaturas e pintam lindos quadros de Paris. Você pode até pechinchar um rabisco, mas tudo ali sai muito caro.

Quem ama as obras de Salvador Dalí, pode ir sem medo no Espace Dalí. A entrada custa €11 e o museu é relativamente pequeno, mas as explicações nos cartazes e todo o acervo são impressionantes. Mesmo quem não é fã do artista, pode aprender um pouco sobre o significado de alguns objetos e elementos presentes nas esculturas e pinturas de Dalí.

A medida que você avança, um pedacinho da Basílica se desvenda na paisagem. Chegando lá, não deixe de entrar, o interior não é um dos mais bonitos de Paris, mas é um must no itinerário (e é de graça!). De resto, você só precisa curtir. Sente-se um pouco nas escadarias, escute os músicos que tocam aqui e ali, observe a vista panorâmica de Paris e vá até a lateral direita, embaixo de uma pequena praça, para ter uma vista única da Torre Eiffel e dos telhados parisienses.

O que fazer em Paris: Roteiro econômico de Paris

O que fazer em Paris: Roteiro econômico de Paris

TARDE: Depois de curtir a paisagem, é só descer as escadas até chegar na Square Louise Saint Michel que tem um carrossel lindo, perfeito para fotos com a Sacré-Coeur de fundo.

Se você é fã do filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, não deixe de passar no Café des Deux Moulins, cenário de muitas cenas do clássico. E se você ainda não comprou souvenirs, aproveite. Tudo ali é mais barato do que em outros pontos turísticos de Paris.

Na hora da fome, você pode ir em um dos primeiros restaurantes saudáveis de Paris: o Rose Bakery (46, Rue des Martyrs). A casa é conhecida por suas deliciosas saladas, sucos frescos e muffins caseiros – tudo feito com ingredientes orgânicos.

NOITE: Para se despedir de Paris, você merece A vista panorâmica – aquele que citei diversas vezes ao longo deste post, a do 56 andar da Torre Montparnasse. Depois do passeio no bairro mais boêmio de Paris, pegue a linha 13 na estação Blanche e desça na Montparnasse-Bienvenue – são 14 minutos de viagem. O ingresso custa €15, mas é a sua última noite em Paris, não é? Você pode! No último andar do único arranha-céu da região central, você tem a vista mais bonita da capital. Com o pôr do sol, o cenário fica ainda mais lindo: a Torre, que fica logo ali na frente, se ilumina, assim como os outros monumentos, e as luzes da cidade se acendem pouco a pouco.

Author Giovanna

Blogueira no portal do Estadão e jornalista formada pela Sorbonne, Giovanna se mudou de vez para Paris em 2014, desde então ela percorre a Cidade Luz dia e noite com a sua Nikon pendurada no pescoço e um bloquinho de notas na bolsa.

More posts by Giovanna

Leave a Reply