Passeios locais em Paris: ideias para curtir longe dos turistas

Passeios locais em Paris

Pin this image on Pinterest

Passeios locais em Paris

Paris é a quinta cidade mais turística do mundo.

Só em 2016 a capital francesa recebeu mais de 15 milhões de viajantes. Na sua primeira visita à Paris, não tem como excluir o combo Torre Eiffel + Champs Élysées + Louvre + Notre Dame do seu roteiro, mas para quem já conhece essa parte da Cidade Luz vale explorar além dos clichês: a Paris que só os parisienses conhecem.

IDEIAS DE PASSEIOS LOCAIS EM PARIS

RÉPUBLIQUE

A região da République é super badalada. O centro é marcado pela Place de la Répulique ponto de encontro dos parisienses engajados politicamente, é ali onde acontece a maior parte das manifestações como a homenagem às vítimas dos atentados de 2015. Todas as noites alguns locais se reúnem na praça para tocar instrumentos, discutir sobre política e propor novas ideias.

LEIA TAMBÉM: O que fazer em Paris no inverno
Hotéis baratos em Paris: diárias abaixo de €190

Pin this image on Pinterest

Se você andar uns 15 minutinhos você chega no pitoresco Canal Saint-Martin, cenário do clássico O Fabuloso Destino de Amélie Poulain. O canal verde é pontilhado por árvores e pontes arqueadas de metal verde. Após a gentrificação, a região foi tomada por uma galera hipster que ama fazer compras nas concept-stores e ficar de boa nos bares, cafés e galerias alternativas que pontilham o canal. Um dos hotspots é o Comptoir Génerale – um verdadeiro templo da cultura alternativa meio café, meio galeria.

Os parisienses adoram sentar nas margens do Saint-Martin para tomar um vinho com os amigos ou comer uma pizza da Flamingo Pizza – pizzaria americana que entrega pizzas de bicicleta nas margens do canal para os clientes que seguram um balão rosa distribuído na hora da compra. Se estiver lá pela manhã, melhor passar na padaria Du pain et des idées. A casa data dos anos 1870 serve deliciosos croissants e pães de amêndoas.

A casa Jérobam, mais para o lado da Place de la République, é um bar de degustação de vinhos. As bebidas são servidas em uma máquina self-service. Você pode escolher a dose e o vinho que quiser.

HAUT MARAIS

O Marais é um burburinho famoso que atrai uma onda de turistas e parisienses nos finais de semana que querem fazer piquenique na Place des Vosges, compras em lojas de grifes e tomar uma cerveja em um bar gay-friendly.
Fora do coração do Marais, fica o Haut Marais. O subbairro surgiu da expansão do Marais, a galera mais artística e hipster que não podia bancar um aluguel no Marais foi pouco a pouco expandindo a região um pouco mais para o norte.

Hoje o Haut Marais abriga não só museus clássicos como o Musée Picasso, dedicado ao artista, e o Carnavalet que conta a história de Paris desde o período pré-histórico, mas também galerias de arte mais modernas como a Mobilier 54, que vende uma seleção de Eames, Knoll e Bertoia.

Pin this image on Pinterest

Essa galera mais alternativa trouxe também as concept-stores como a Merci, uma loja de roupas e decoração que conta com um restaurante e dois cafés. E falando em comida, restaurante bom é o que não falta no Haut Marais, graças aos foodies que dominaram a região com restaurantes mais alternativos. O Grazzie Pizzas é um exemplo, a casa serve pizzas mais saudáveis que são na verdade grandes saladas bem fresquinhas servidas em um prato de massa de pizza. Também tem o Hank Burguer, um restaurante completamente vegano que serve hambúrguers deliciosos feitos à base de legumes e soja acompanhados por uma porção de batatas fritas caseiras. O Grand Menu, com direito a hambúrguer, acompanhamento, sobremesa e bebida sai €14.Leia mais sobre o Hank Burguer

Os parisienses também amam almoçar no mercado mais antigo de Paris, o Le Marché des Enfants Rouges, inaugurado em 1615. Dá para comprar muitas coisas gostosas nas bancas de frutas, frios, vinhos e especiarias locais. Mas na hora da fome, vale se acomodar nas mesinhas e experimentar a melhor comida marroquina da cidade, do Traiteur Marrocain, comer um bom japonês do Taeko ou saborear alguns clássicos franceses como ostras e crepes no Estaminet.

QUARTIER LATIN E ARREDORES

O Quartier Latin é um segredinho bem guardado pelos parisienses. É ali que fica o Institut du Monde Arabe, prédio de vidro desenhado por Jean Nouvel, onde você pode conferir uma coleção permanente sobre a história e arte árabe. No terraço você tem uma vista maravilhosa do Rio Sena e da Catedral Notre-Dame.

A Rue Mouffetard – uma das ruas mais compridas de Paris, e também uma das mais pitorescas. A rua é pontilhada por butiques, cafés e restaurantes hiper frequentados pelos parisienses nos finais de semana.

Pin this image on Pinterest

Com alguns minutos de caminhada você chega ao Jardin des Plantes e suas três enormes estufas temáticas, seus jardins floridos e o Musée d’Histoire Naturelle, ali perto ficam outros cantinhos pitorescos como o salão de chá da Mosquée de Paris, um espaço todo revestido de azulejos brancos e azuis, algumas árvores e decorações arabescas. Ali você pode comer docinhos árabes e tomar um cházinho de menta bem quentinho por €2 – o que é super barato para Paris.
Vale atravessar o rio Sena e tirar algumas fotos na Rue Crémieux, uma ruela só para pedestres com casinhas de todas as cores, com plantas e bicicletas nas fachadas.

IDEIAS DE PASSEIOS LOCAIS EM PARIS

Pin this image on Pinterest

MONTMARTRE E NORDESTE DE PARIS

O Parc des Buttes Chaumont (1, Rue Botzaris) é o destino romântico dos casais parisienses e também um dos parques mais bonitos, pitorescos e menos turísticos de Paris. O parque fica em uma colina que dá vista perfeita para Montmartre. Passeie ao redor do lago, ouça os pássaros, veja as cachoeiras, tire mil fotos na Pont des Suicidés, vá ao Temple de la Sibylle a 30 metros de altura em uma ilha no meio do lago e tome um bom vinho no Rosa Bonheur, bar que fica dentro do parque.

Pin this image on Pinterest

Mais ao norte, em Montmartre você tem o pitoresco Musée de la Vie Romantique que além de abrigar uma exposição incrível dedicada a escritora George Sand e ao pintor Ary Scheffer, também serve chás, tortas, saladas e bolinhos gostosos em um pequeno jardim todo rosa e verde com mesinhas e cadeiras de metal.

Para escapar das multidões de turistas em Montmartre estique o passeio até a Villa Léandre. Essa ruazinha silenciosa de paralelepípiedo é pontilhada por árvores, flores e casinhas no estilo inglês, um charme.

Contrastando com toda essa calmaria, vamos falar do mercado de pulgas de Saint-Ouen, fora de Paris mas hiper frequentado por parisienses. Trata-se do maior mercado de pulgas do mundo e um ótimo programa para a tarde. Ali você encontra móveis de todas épocas, preços, estilos e cores. Dá também para garimpar algumas roupas e itens de decoração.

BASTILLE

Equivalente a New York’s High Line, a Coulée Verte é uma passarela que ocupa a antiga linha de trem que ligava a Bastille à Varenne-Saint-Maur, são 4,5 km de extensão o que faz do passeio uma ótima escapada do barulho da cidade no meio de um jardim urbano acima das ruas de Paris.

Próximo à Place de la Bastille fica o Les Deserteurs (46, Rue Trousseau), um neobistrô que serve pratos camponeses como o carneiro refogado com cogumelos, bergamotas e batatas, com ótimos vinhos no cardápio e um cheesecake caseiro de sobremesa. O menu do almoço sai €28 ou €35 se quiser um copo de vinho para acompanhar.

BERCY

Bercy fica mais afastado do centro Paris, mas é um pulo de metrô pela linha 14. Os parisienses amam passear por ali nos finais de semana, principalmente no Parc de Bercy (128, Quai de Bercy) e na Cour Saint-Émillion que é na verdade uma rua alinhada por adegas do que já foi o armazém de Bercy. Hoje a Cour Saint-Émillion abriga um super cinema, restaurantes com terraço, lojas de marca e butiques mais locais.

Seguir:

4 Comentários

  1. Andre Bertrand
    18 de dezembro de 2016 / 12:04

    Excelente artigo, com uma pequena correção: a Rua Mouffetard não chega em Le Halles, que é do outro lado do rio. A que chega lá e é cheia de bares e restaurantes é a Montorgueil. Ambas são imperdíveis. Bisous

    • 19 de dezembro de 2016 / 13:13

      Tem razão André! Muito obrigada pelo comentário e pelo aviso. Vamos arrumar aqui!
      Bisous!

  2. Talita
    6 de janeiro de 2017 / 09:15

    Adorei a resenha…moro aqui há 1 ano e 4 meses e como minha agenda de trabalho e super corrida acabo não tendo muito tempo de aproveitar porém,agora estou super bem informada.

    Obrigada Giovanna!

    • 7 de janeiro de 2017 / 13:49

      Sei como é… ainda mais porque quando temos tempo livre, não sabemos aonde ir.
      Fico feliz em poder te ajudar! 😀
      Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *